wrapper

Plantão

Os luzilandenses podem amanhecer qualquer dias desses sem possuir nenhum bem do município. Essa é a grande preocupação do Sr. Francico, senhor de 68 anos, aposentado que já testemunhou momentos de uma cidade próspera, pronta para o futuro, mas que agora amarga noite de revoltas com a triste situação que foi envolvida a sua Luzilândia, cidade que ama tanto.


É que das "maiores desgracas" que já viu na sua veterana vida, estaria, segundo ele, o resultado do que diz ser a "catastrófica administração" do atual prefeito da cidade, Ronaldo Gomes, mais conhecido como "O Caçmabeiro". É que o rapaz, antes mesmo de assumir, já teria "aprontado de um tudo", se envolvido em escândalos quase que diários, num festival do que adjetiva de "graves desmandos". Sr. Francisco, morado da região da "caixa D´agua", se sente rebelado com um dos últimos atos do Caçambeiro: vender a rodoviária de Luzilândia. "Ele está vendendo tudo, tenham certeza que ele vai vender a Luzilândia toda. Qualquer dia a gente acorda sem nada. Ele (Caçambeiro) tem entregue tudo", fala com a voz embargada o eleitor que sempre se sentiu representado nos governos que promoveram o progresso da cidade, hoje restando essa situação vergonhosa.


O que eleva a preocupação dos luzilandenses que amam sua terra é o início do que seria "plano de sucateamento de Luzilândia" que teria, entre os principais objetivos, a venda e a entrega dos bens da cidade a terceiros. O primeiro passo foi dado ainda em dezembro do ano passado (2017) com a autorização da venda da Rodoviaria de Luzilândia, prédio histórico e onde seria construído um centro avançado de cultura e artes para a população. O desmantelo da cidade seria agora por completo. Destruir prédios e monumentos públicos, ataviar a cidade de cores berosas, anarquizar construções históricas e emprender a breguiça e a falta de bom gosto para toda sociedade parece ser a forte estratégia de quem foi alçado ao comando do município.

A ordem seria para "VENDER TUDO E ACABAR COM LUZILÂNDIA", denunciam moradores.


O Diário Oficial do Município não deixaria dúvidas de que tudo isso é sim possível e uma realidade. A venda de uma cidade e a destruição de seu patrimônio fisíco e imaterial já começou. Como disse bem o veterano Francisco: "tenho medo de amanhecer sem nada na cidade", logo uma cidade que sempre se orgulhou de já ter tido tudo e com muito bom gosto e esmero.

Ronaldo Caçambeiro: o rapaz problema de Luzilândia.

Last modified on Monday, 26 February 2018
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Blue Green Red Radian
Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family