wrapper

Plantão

Após a conclusão do exercício financeiro de 2017, passados quatro meses do exercício de 2018, até o momento o prefeito de Luzilândia, Ronaldo Gomes, não publicou os valores arrecadados com a taxa de iluminação pública e arrecadados pela Eletrobras, como forma de prestação de contas

Criada para custear o serviço de manutenção da iluminação pública em Luzilândia, a taxa de energia elétrica (COSIP) rendeu à prefeitura em 2017 o montante de aproximadamente R$ 5 milhões de reais, segundo uma previsão de uma levantamento parcial da Eletrobras por pontos de energia em que podem ser cobrados os percentuais de 15% e 20% em prédios residenciais, e 50% em comerciais (os órgãos não divulgam nada corretamente).


Após a conclusão do exercício financeiro de 2017, passados quatro meses do exercício de 2018, até o momento o prefeito de Luzilândia, Ronaldo Gomes, não publicou os valores arrecadados com a taxa de iluminação pública e arrecadados pela Eletrobras, como forma de prestação de contas. E nem publicou de que forma os recursos públicos estão sendo aplicados em benefício da população, que é todo mês explorada na conta de energia.

Uma residência humilde que pagava uma taxa de iluminação pública em Luzilândia de apenas R$ 3,15 passou a pagar com a imposto instituído pelo prefeito o valor de R$ 24,75, um aumento de mais de 764% para uma residência de uma família considerada assalariada. Uma pequena lanchonete na cidade, por exemplo, que pagava uma conta de energia de R$ 180,00 ao mês, com a taxa de iluminação pública (20% a mais) passou a pagar o valor de R4 216,00. Uma churrascaria que paga uma conta de R$ 1.120,00, paga hoje com a taxa de iluminação (20% a mais) o valor de R$ 1.344,00. E assim por diante.

Para o final do ano de 2018, há previsão de que a Prefeitura de Luzilândia deverá arrecadar aproximadamente R$ 8 milhões de reais, tendo em vista os aumentos dos percentuais de energia impostos pelo Governo Federal que acabam afetando na taxa de iluminação pública de forma direta, ou seja, quando a conta a energia também aumenta a taxa da iluminação cobrada pelo prefeito de Luzilândia.

Cidade às escuras

A população de Luzilândia denuncia diariamente que a cidade está às escuras por falta de manutenção da iluminação pública. E cobra do prefeito Ronaldo Gomes os recursos pagos e arrecadados da população todos meses na conta de energia elétrica. Onde estão sendo aplicados, já que a taxa de iluminação pública não pode ser desviados para outros fins, sobretudo para cobrir débitos e desvio de recursos públicos.

O descaso, segundo dados da Polícia Militar em Luzilândia, tem contribuido para a insegurança e para o aumento da criminalidade e da violência na cidade, deixando a população refém dos bandidos diariamente no horário noturno. A escuridão se espalha desde o centro aos bairros da cidade, denuncia a população nas redes sociais, inclusive para os vereadores tomem uma providência, criando uma Tomada de Contas Especial.

Fonte: JL/Ivo Júnior

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Blue Green Red Radian
Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family