Mais de 60% dos brasileiros não estão preparados para imprevistos

A capacidade de honrar com as obrigações financeiras, sentir-se seguro em relação ao futuro financeiro e poder fazer escolhas que permitam aproveitar a vida são comportamentos que definem como uma pessoa se relaciona com o dinheiro. 

Com base nesses pilares, a CNDL e o SPC Brasil, com apoio da  Comissão de Valores Mobiliários (CVM), vêm medindo o Bem-Estar Financeiro dos brasileiros desde 2017. Em fevereiro último, o indicador apontou que:

– 64% dos consumidores vivem no limite do orçamento, ou seja, raramente ou nunca têm dinheiro sobrando
– 26% conseguem, às vezes, ter uma reserva 
– apenas 9% afirmam que sempre ou frequentemente contam com alguma sobra

Além disso, 27% dos entrevistados temem que o dinheiro não dure até o fim do mês. Outro dado mostra que somente 10% estão preparados para lidar com imprevistos e 64% não possuem capacidade de lidar com despesas inesperadas.

Numa escala que varia de zero a 100, quanto mais próximo de 100, maior o nível médio de bem-estar financeiro da população; quanto mais distante de 100, menor o nível.

Em fevereiro de 2019, o indicador ficou estável ao marcar 48,3 pontos — muito próximo do índice observado no mesmo mês do ano passado, que ficou em 48,5 pontos. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.