Prefeito não pode comprar carro, construir prédio e colocar em nome de outras pessoas, diz Ismar Marques

esta sexta-feira (14), no Programa Jornal Vale do Parnaíba, da Rádio Vale do Parnaíba, na parte “Momento Jurídico”, o ex-deputado estadual, Ismar Marques, confirmou apoio à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) votada e aprovada pela Câmara Municipal de Luzilândia para investigar atos de responsabilidade do prefeito Ronaldo Gomes. Sem citar nomes dos envolvidos na denúncia, disse que o requerimento da CPI partiu de cidadãos para que os vereadores investiguem o atual prefeito de Luzilândia.

Na entrevista política, o ex-parlamentar disse ser contra “prefeito comprar carro, construir prédio e colocar em nome de outras pessoas”. Sem citar nomes de vereadores da época, o ex-deputado disse que também enfrentou uma CPI quando foi prefeito de Luzilândia pela primeira vez, de 1983 a 1988, quando um grupo de vereadores pediu uma investigação pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) sobre malversação de recursos públicos na prefeitura, entre os vereadores de sua época um formado em contabilidade e que foi contador do Município de Luzilândia e de outras prefeituras no Estado.

Ismar Marques disse ainda que como ex-prefeito e ex-deputado jamais adquiriu para si próprio carros e imóveis para colocar em nome de outras pessoas. Afirmou que tudo o que possui, todo o seu patrimônio é colocado em seu próprio nome.Nas redes sociais circula a informação de que um prédio construído em Luzilândia seria, na verdade, de propriedade de uma autoridade do município. Mas, que o imóvel fora adquirido e construído em nome de um terceiro, que os seguidores do facebook e do twitter dizem ser um “laranja” para desviar recursos públicos. Os adversários políticos do prefeito Ronaldo Gomes, entre eles o grupo político liderado pelo ex-deputado Ismar Marques e pela vice-prefeita Jackeline Aguiar, prima dele, dizem que a CPI pretende também pedir informações à Receita Federal sobre o patrimônio de supostos “laranjas” em Luzilândia que não teriam renda compatível para comprar carros e adquirir imóveis. Enfim, de que estariam acobertando desvios de recursos públicos do município para beneficiar políticos corruptos. A CPI da Câmara Municipal de Luzilândia tem como foco investigar as ações do prefeito Ronaldo Gomes. De que estaria – segundo a denúncia formulada por Geraldo Ribeiro Pinto e outros – praticando atos de ilegalidade à frente da prefeitura. 

Fonte: JL

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.